Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.unifal-mg.edu.br:8443/handle/tede/1822
Tipo do documento: Tese
Título: Análise da microbiota em fase aguda da esquistossomose hepática e intestinal e a possível interação de espécies de Schistosoma e bactérias
Autor: ARAÚJO, Matheus Pereira de 
Primeiro orientador: MARQUES, Marcos José
Primeiro coorientador: SOUZA, Raquel Lopes Martins
Segundo coorientador: COELHO, Luiz Felipe Leomil
Primeiro membro da banca: DIAS, Amanda Latércia Tranches
Segundo membro da banca: RODRIGUES, Maria Rita
Terceiro membro da banca: CALDAS, Ivo Santana
Quarto membro da banca: COLOMBO, Fabio Antonio
Resumo: A esquistossomose, causada por espécies do trematódeo Schistosoma, é uma doença negligenciada, muito comum em países em desenvolvimento, e mais de 200 milhões de pessoas necessitam de tratamento. Na evolução da esquistossomose há um comprometimento da estrutura morfológica e funcional do trato gastrointestinal. Nestas condições, as bactérias da própria microbiota intestinal podem chegar à corrente sanguínea, ou se associar ao verme adulto e ovo. Assim, no presente trabalho, foi realizada uma revisão literária a respeito da interação microbiota, geohelmintos e esquistossomose. Experimentalmente, a composição da microbiota de camundongos BALB/c em fase aguda da esquistossomose mansônica e japônica e os eventuais impactos da infecção no intestino e no fígado foram analisados. Houve divisão de 5 grupos de animais: CBr controle do Brasil e SmBr infectado com S. mansoni do Brasil; CJp controle do Japão; SmJp infectado com S. mansoni no Japão e SjJp infectado com S. japonicum no Japão. Desta forma, a análise da microbiota intestinal foi realizada a partir da obtenção do DNA das fezes de camundongos e posterior sequenciamento metagenômico. Embora a contagem de Unidades Formadoras de Colônia (UFC) nas fezes dos infectados (SmBr) foi maior que no controle, esta diferença não foi estatisticamente significativa (p = 0,3637), assim como nos grupos SmJp e SjJp (p = 0,5564). Os resultados de metagenômica para SmBr indicam um aumento no número de bactérias pertencentes ao filo Bacteroidetes (56,6% para 77%) e diminuição do filo Firmicutes (37,5% para 13,9%) na microbiota intestinal. Os resultados do PCR quantitativo para o filo Bacteroidetes confirmaram os resultados obtidos na metagenômica, encontrando maior quantidade no grupo SmBr, assim como diminuição de Firmicutes. Os fígados dos animais dos grupos controle e infectado foram obtidos também para avaliar a composição da microbiota, e somente os animais infectados apresentaram bactérias no fígado. A análise molecular mostra a presença de bactérias do filo Firmicutes, Bacteroidetes e Proteobacterias. Quatro espécies de bactérias foram isoladas do fígado dos animais SmBr e a identificação dessas foi realizada pela técnica de MALDI-TOF (Bordetella hinzii, Haemophilus haemolyticus, Lactococcus garvieae e Escherichia coli); SmJp (Staphylococcus nepalensis e Staphylococcus sciuri) e SjJp (Enterococcus galinarum, Staphylococcus sciuri e Paenibacillus). Ensaios para determinar o perfil de sensibilidade das bactérias à diferentes antibióticos (Clindamicina, Doxiciclina, Eritromicina, Gentamicina, Levofloxacino e Sulfametoxazol + Trimetoprima) mostraram que todas as espécies estudadas apresentaram sensibilidade para Gentamicina. Este antibiótico apresentou maior eficácia tanto pela análise de Concentração Inibitória Mínima como pela Concentração Microbicida Mínima. Para Eritromicina, as bactérias B. hinzii, L. garvieae, S. nepalensis e S. sciuri apresentaram sensibilidade. Já para o Levofloxacino, H. haemolyticus, E. coli, L. garvieae, S. nepalensis e S. sciuri foram sensíveis. Nos cortes histológicos, foi possível observar granulomas esquistossomóticos do tipo exsudativo no fígado; e no intestino foram identificados retenção de ovos dos parasitos na camada mucosa e aumento da celularidade, a qual foi constituída por acúmulo de células mononucleares e polimorfonucleares. Foi possível verificar também que algumas bactérias são capazes de aderir à superfície dos vermes adultos (E. coli) e dos ovos (L. garvieae) de S. mansoni. Os resultados obtidos indicam uma alteração na microbiota intestinal com possível disseminação das bactérias para outros órgãos, tais como o fígado, evidenciando uma possível translocação bacteriana
Abstract: Schistosomiasis, caused by species of the trematode Schistosoma, is a neglected disease, very common in developing countries, and more than 200 million people need treatment. In the evolution of schistosomiasis there is a compromise in the morphological and functional structure of the gastrointestinal tract. Under these conditions, bacteria from the intestinal microbiota itself can reach the bloodstream, or associate with the adult worm and egg. Thus, in the present work, a literary review was carried out regarding the microbiota, geohelminth and schistosomiasis interaction. Experimentally, the composition of the BALB/c mice microbiota in the acute phase of mansonic and japanese schistosomiasis and the possible impacts of the infection on the intestine and liver were analyzed. There was a division of 5 groups of animals: CBr control from Brazil and SmBr infected with S. mansoni from Brazil; CJp control of Japan; SmJp infected with S. mansoni in Japan and SjJp infected with S. japonicum in Japan. Thus, the analysis of the intestinal microbiota was performed by obtaining the DNA from the feces of mice and subsequent metagenomic sequencing. Although the count of Colony Forming Units (CFU) in the feces of the infected (SmBr) was higher than in the control, this difference was not statistically significant (p = 0.3637), as well as in the SmJp and SjJp groups (p = 0.5564). The results of metagenomics for SmBr indicate an increase in the number of bacteria belonging to the phylum Bacteroidetes (56.6% to 77%) and a decrease in the phylum Firmicutes (37.5% to 13.9%) in the intestinal microbiota. The results of the quantitative PCR for the phylum Bacteroidetes confirmed the results obtained in the metagenomics, finding a greater quantity in the SmBr group, as well as a decrease in Firmicutes. The livers of the animals in the control and infected groups were also obtained to evaluate the composition of the microbiota, and only the infected animals had bacteria in the liver. Molecular analysis shows the presence of bacteria from the phylum Firmicutes, Bacteroidetes and Proteobacterias. Four species of bacteria were isolated from the liver of SmBr animals and their identification was performed using the MALDI TOF technique (Bordetella hinzii, Haemophilus haemolyticus, Lactococcus garvieae and Escherichia coli); SmJp (Staphylococcus nepalensis and Staphylococcus sciuri) and SjJp (Enterococcus galinarum, Staphylococcus sciuri and Paenibacillus). Tests to determine the sensitivity profile of bacteria to different antibiotics (Clindamycin, Doxycycline, Erythromycin, Gentamicin, Levofloxacin and Sulfamethoxazole + Trimethoprim) showed that all species studied showed sensitivity to Gentamycin. This antibiotic showed greater efficiency both by the analysis of Minimum Inhibitory Concentration and by the Minimum Microbicide Concentration. For Erythromycin, the bacteria B. hinzii, L. garvieae, S. nepalensis and S. sciuri showed sensitivity. As for Levofloxacino, H. haemolyticus, E. coli, L. garvieae, S. nepalensis and S. sciuri were sensitive. In histological sections, it was possible to observe exudative schistosomal granulomas in the liver; and in the intestine, egg retention of parasites in the mucous layer and increased cellularity were identified, which consisted of accumulation of mononuclear and polymorphonuclear cells. It was also possible to verify that some bacteria are able to adhere to the surface of adult worms (E. coli) and eggs (L. garvieae) of S. mansoni. The results obtained indicate a change in the intestinal microbiota with possible spread of bacteria to other organs, such as the liver, showing a possible bacterial translocatio
Palavras-chave: Esquistossomose
Microbiota
Translocação Bacteriana
Antibacterianos
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Alfenas
Sigla da instituição: UNIFAL-MG
Departamento: Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas
Citação: ARAÚJO, Matheus Pereira de. Análise da microbiota em fase aguda da esquistossomose hepática e intestinal e a possível interação de espécies de Schistosoma e bactérias. 2021. 98 f. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Alfenas, Alfenas/MG, 2021.
Tipo de acesso: Acesso Embargado
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: https://bdtd.unifal-mg.edu.br:8443/handle/tede/1822
Data de defesa: 2-Mar-2021
Aparece nas coleções:Doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese de Matheus Pereira de Araújo.pdf7,68 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar    Solictar uma cópia


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons