Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.unifal-mg.edu.br:8443/handle/tede/1852
Tipo do documento: Dissertação
Título: Influência da infecção crônica por Schistosoma mansoni na resposta à quimioterapia específica contra a infecção experimental aguda por Trypanosoma cruzi
Autor: GONZÁLEZ LOZANO, Kelly Joanna 
Primeiro orientador: CALDAS, Ivo Santana
Primeiro coorientador: NOVAES, Romulo Dias
Primeiro membro da banca: GUEDES, Paulo Marcos da Matta
Segundo membro da banca: CASTRO, Aline Pereira
Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar a resposta do tratamento com benznidazol (BZL) na infecção aguda por Trypanosoma cruzi, em camundongos com infecção crônica por Schistosoma mansoni. Foram utilizados 66 camundongos fêmeas Balb/c divididos em 6 grupos experimentais, sendo o grupo 1 (G1): Saudáveis, grupo 2 (G2): infectados por S. mansoni, grupo 3 (G3): infectados por T. cruzi, grupo 4 (G4): infectados por T. cruzi e tratados com BZL, grupo 5 (G5): coinfectados por S.mansoni/T.cruzi e grupo 6 (G6): coinfectados por S.mansoni/T.cruzi e tratados com BZL. Foram registrados os pesos, a mortalidade e a parasitemia dos animais e ao final do experimento foi coletado sangue para dosagem do BZL e análises de citocinas. Após, os animais foram eutanasiados para coleta de órgãos que foram pesados e fixados para análises histológicas. Análises de parasitismo cardíaco por qPCR também foram realizados. Os resultados mostraram que os animais coinfectados apresentaram parasitemia até 5 vezes maiores daquelas observadas entre os camundongos infectados apenas com o T. cruzi (G5: 6x106 vs. G3: 1.3x106 tripomastigotas /0,1mL de sangue; p<0.05), mas após o pico de parasitemia os animais coinfectados controlaram o parasitismo no miocárdio de forma mais eficaz ao G3 (G5: 39.48 vs. G3: 158.6 parasitos/25ng DNA tecidual; p<0.05). Apesar da menor carga parasitária no miocárdio dos animais coinfectados no 13o dia de infecção por T. cruzi, a miocardite foi mais elevada nestes animais (G5: 284 vs. G3: 246 números de células no miocárdio; p<0.05). O BZL, como esperado, controlou a parasitemia do T. cruzi entre os animais do G4, mas também foi eficiente em controlar a parasitemia mesmo entre os animais coinfectados pertencentes ao G6 (G4: 325 e G6: 417 média de tripomastigotas/0,1mL de sangue; p>0.05). A avaliação do peso corporal e mortalidade também mostrou que o BZL promoveu melhora destes parâmetros entre os camundongos do G6 quando comparados com os animais coinfectados do G5, da mesma forma como ocorreu com a avaliação do parasitismo cardíaco e miocardite (G5 vs. G6, p<0.05). A coinfecção reduziu a polarização dos perfis anti e pró- inflamatórios das citocinas induzidas pelos parasitos quando em situação de infecção simples e o BZL promoveu diminuição de citocinas antiinflamatórias em animais coinfectados sem efeito nas citocinas proinflamatórias. Os pesos do fígado e do baço foram exacerbados em animais coinfectados quando comparado com os outros grupos experimentais (p<0.05). O BZL normalizou o peso do baço, ajudou a evitar a perda de hepatócitos e minimizou a inflamação no fígado (G5 vs. G6, p<0.05), mas aumentou a hepatomegalia nos animais do G6 (G5: 0.089 vs. G6: 0.10g peso relativo médio do fígado; p<0.05). A coinfecção ou o BZL não influenciaram no número de granulomas hepáticos, em sua área ou densidade celular (G5 e G6 vs. G2, p>0.05), mas entre os coinfectados houve aumento das porcentagens de animais com granulomas pulmonares (G2: 40, G5: 60 e G6: 89% de animais com granulomas no pulmão) e intestinais (G2: 50, G5: 90 e G6: 75% de animais com granulomas intestino delgado). Todos os grupos com esquistossomose mostraram alta inflamação no intestino delgado, sem comprometimento significativo do intestino grosso. Por fim, a quantificação do BZL revelou que a coinfecção não influencia de forma significativa nos níveis do fármaco no sangue nos tempos testados (G4 vs. G6, p>0.05). Os resultados permitem concluir que o tratamento com BZL é eficiente em minimizar a perda de peso corporal, mortalidade e esplenomegalia, além de suprimir o parasitismo e parasitemia de T. cruzi em camundongos coinfectados cronicamente com S. mansoni.
Abstract: This research aimed to evaluate the effectiveness to the treatment with benznidazole (BZL) in acute infection by Trypanosoma cruzi, in mice with chronic infection by Schistosoma mansoni. For the experiment, 66 Balb/c mice divided into 6 experimental groups were used, the group 1 (G1): Healthy; group 2 (G2): infected by S. mansoni; group 3 (G3): infected by T. cruzi, group 4 (G4): infected by T. cruzi and treated with BZL, group 5 (G5): co-infected by S. mansoni/T.cruzi and group 6 (G6): co-infected by S. mansoni/T. cruzi end treated with BZL. Weight, mortality and parasitaemia of animals were registered and, at the end of the experiment, blood was collected for the dosage of BZL and cytokine analysis. The animals were sacrificed, organs were weighed and fixed for histological analysis, and a cardiac parasitism qPCR analyses were performed. The results showed that the co-infected animals had parasitaemia 5 times higher than those observed among infected mice by T. cruzi (G5: 6x106 vs. G3: 1.3x106 trypomastigotes/0,1mL of blood; p<0.05), but after the peak of parasitaemia, the co-infected animals effectively controlled the parasitism in the myocardium more effectively than G3 (G5: 39.48 vs. G3: 158.6 parasites/25ng DNA tissue; p<0.05). Despite the lower parasite load in the myocardium of co-infected animals on the 13th day of infection with T. cruzi, myocarditis was higher in these animals (G5: 284 vs. G3: 246 number of cells in the myocardium; p<0.05). The BZL, as expected, controlled parasitaemia by T. cruzi among animals of G3, but it is also effective in controlling the parasitaemia even among the co-infected animals belonging to G6 (G4: 325 e G6: 417 means of trypomastigotes/0,1mL of blood; p>0.05). The evaluation of body weight and mortality also showed that BZL promoted an improvement in these parameters among G6 mice when compared to co-infected animals from G5, in the same way as occurred with the evaluation of cardiac parasitism and myocarditis (G5 vs. G6, p<0.05). The co- infection reduces the polarization of the anti-inflammatory and pro-inflammatory profiles of cytokines induced by parasites in a situation of simple infection, and BZL promoted a decrease in anti-inflammatory cytokines in co-infected animals with a single effect on inflammation. Liver and spleen weights were exacerbated in co-infected animals when compared to other experimental groups (p<0.05). The BZL normalized spleen weight, helped prevent hepatocyte loss and minimized liver inflammation (G5 vs. G6, p<0.05), but increased hepatomegaly in G6 animals (G5: 0.089 vs. G6: 0.10g mean relative weight of the liver; p<0.05). Co-infection or BZL did not influence the number of hepatic granulomas, their area or cell density (G5 e G6 vs. G2, p>0.05), but among the co-infected there was an increase in the percentages of animals with pulmonary granulomas (G2: 40, G5: 60 and G6: 89% of animals with granulomas in the lung) and intestinal (G2: 50, G5: 90 and G6: 75% of animals with granulomas in the small intestine). All groups with schistosomiasis showed high inflammation in the small intestine, with no significant changes in the large. Finally, the quantification of BZL showed that the co-infection did not significantly influence drug levels in blood among the analysed times (G4 vs. G6, p>0.05). The results allow us to conclude that treatment with BZL is efficient in minimizing body weight loss, mortality and splenomegaly, in addition to suppressing T. cruzi parasitism and parasitaemia in mice chronically co-infected with S. mansoni.
Palavras-chave: Benznidazol
Infecções mistas
Coinfecção
Doença de Chagas
Esquistossomose; granulomas.
Área(s) do CNPq: CIENCIAS BIOLOGICAS::PARASITOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Alfenas
Sigla da instituição: UNIFAL-MG
Departamento: Instituto de Ciências da Natureza
Programa: Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas
Citação: GONZÁLEZ LOZANO, Kelly Joanna. Influência da infecção crônica por Schistosoma mansoni na resposta à quimioterapia específica contra a infecção experimental aguda por Trypanosoma cruzi. 2021. 80 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG, 2021.
Tipo de acesso: Acesso Embargado
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: https://bdtd.unifal-mg.edu.br:8443/handle/tede/1852
Data de defesa: 25-Jun-2021
Aparece nas coleções:Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação de Kelly Joanna González Lozano.pdf2,86 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar    Solictar uma cópia


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons