Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://bdtd.unifal-mg.edu.br:8443/handle/tede/1877
Tipo do documento: Tese
Título: Efeito da aminoguanidina e sua associação com metformina no sistema redox de ratos com diabetes tipo 2 e as implicações nos parâmetros bioquímicos e histológicos
Autor: OLIVEIRA, Carla Miguel de 
Primeiro orientador: RODRIGUES, Maria Rita
Primeiro membro da banca: BARROS, Gérsika Bitencourt Santos
Segundo membro da banca: SOARES, Dulcivana Ferreira
Terceiro membro da banca: PAULA, Fernanda Borges de Araújo
Quarto membro da banca: CARNEIRO, Deila Rosely
Resumo: Em trabalho anterior, nosso grupo demonstrou que a aminoguanidina (AG), um conhecido inibidor de produtos finais de glicação avançada (AGEs), aumentou a atividade de NOX2 (Sistema NADPH oxidase fagocítico) em neutrófilos peritoneais de ratos, levando ao aumento da atividade fagocítica e candicida nestas células, entretanto este aumento foi menos pronunciado em ratos diabéticos. Neste trabalho, nosso objetivo foi investigar o papel da AG no balanço redox em modelo experimental de Diabetes Tipo 2 (DM2) e avaliar seu efeito nos parâmetros bioquímicos e histológicos desses animais. Devido à semelhança molecular da AG com a metformina (MET), largamente utilizada no tratamento do DM2, utilizamos aqui as duas guanidinas (AG e MET) e avaliamos o efeito de ambas, isoladamente e/ou associadas, na atividade de enzimas pró e antioxidantes (soro, rins e fígado) e nos parâmetros bioquímicos e histológicos. Para isso, o DM2 foi induzido em ratos machos Wistar através de dieta hipercalórica, seguido de injeção intraperitoneal (IP) de estreptozotocina (STZ) em baixa dosagem (35 mg/kg). Após a confirmação da hiperglicemia, os animais foram tratados com AG e/ou MET por 30 dias e os parâmetros citados acima, foram avaliados. Nossos resultados mostraram um aumento da atividade de NOX 2 no grupo tratado com AG e/ou MET independente do estado diabético, reforçando resultados prévios do grupo. Em relação à mieloperoxidase em neutrófilos, houve diminuição da atividade enzimática associada à hiperglicemia, e os diferentes tratamentos não exerceram efeito sobre sua atividade. Com relação à avaliação de marcadores de estresse oxidativo, pode-se notar que a AG e a MET demonstraram capacidade de modular o metabolismo oxidativo, uma vez que o tratamento com AG e MET foi capaz de restabelecer a atividade de SOD, CAT e GPX, e diminuir os níveis de peroxidação lipídica no soro, rins e fígado. Quanto ao perfil bioquímico, notou-se um melhor controle glicêmico nos animais do grupo diabético MET e no grupo tratado com gliclazida, demonstrando a eficácia do modelo de DM2 padronizado neste trabalho. No perfil lipídico, não houve alteração nos níveis de colesterol total e colesterol HDL pela hiperglicemia, entretanto, grupos tratados com AG e/ou MET apresentaram diminuição nos níveis de triglicerídeos. Pode-se notar também que houve um aumento de AST e ALT decorrentes do estado diabético, contudo nos grupos tratados com AG e MET, houve uma diminuição de AST e ALT, demonstrando a capacidade dos compostos na recuperação do dano hepático. A fosfatase alcalina se elevou pela hiperglicemia, entretanto, os tratamentos com AG e MET não afetaram este parâmetro bioquímico. Os marcadores séricos de função renal, ureia e creatinina, não foram afetados pelos tratamentos. Através das análises histológicas notou-se que AG e MET isoladas ou em associação apresentaram efeitos benéficos por minimizar os danos hepático e renal oriundos do DM2. Desta forma, concluímos que o tratamento com AG, MET e a associação destes compostos induziram uma melhora nos parâmetros hepáticos dos animais diabéticos, diminuição dos níveis de triglicerídeos, restituição da atividade de SOD, CAT e GPX, e foi capaz de promover uma melhora nos danos teciduais renal e hepático. Dado o exposto, pode-se notar que a associação da AG e MET atuou de forma benéfica nesse modelo experimental, sendo necessário mais estudos a fim de estabelecer se a associação das guanidinas pode trazer mais benefícios que a ação isolada da metformina, largamente utilizada no tratamento do DM2.
Abstract: In a previous study, our group demonstrated that aminoguanidine (AG), a known inhibitor of Advanced Glycation End Products (AGEs), increased NOX2 (phagocytic NADPH Oxidase System) activity in rat peritoneal neutrophils, leading to increased activity phagocytic and neutrophil candicidal; however, this increase was less pronounced in diabetic rats. In this study, our aim was to investigate the role of AG in the redox balance in an experimental model of Type 2 Diabetes (DM2) and to evaluate its effect on the biochemical and histological parameters of these animals. Due to the molecular similarity of AG with metformin (MET), widely used in the treatment of DM2, we used here the two guanidines (AG and MET) and evaluated the effect of both, alone and/or associated, on the activity of pro and antioxidant enzymes and in biochemical and histological parameters. DM2 was induced in male Wistar rats through a hypercaloric diet, followed by intraperitoneal (IP) injection of streptozotocin (STZ) in low dosage (35 mg/kg). After confirmation of hyperglycemia, the animals were treated with AG and/or MET for 30 days and the parameters mentioned above were evaluated. Our results showed an increase in NOX 2 activity in the group treated with AG and/or MET regardless of the diabetic status, reinforcing previous results of our group. Regarding MPO, there was a decrease in enzymatic activity associated with hyperglycemia, and the different treatments had no effect on its activity. Related to the evaluation of oxidative stress markers, it can be noted that AG and MET demonstrated the ability to modulate oxidative metabolism, since the treatment with AG and MET was able to reestablish the activity of SOD, CAT and GPX, and decrease lipid peroxidation levels. In addition, in the biochemical profile, a better glycemic control was noted in the animals in the diabetic group MET and in the group treated with gliclazide, demonstrating the effectiveness of the DM2 model standardized in this study. In the lipid profile, there was no change in the levels of total cholesterol and HDL cholesterol due to hyperglycemia. However, groups treated with AG and/or MET showed a decrease in triglyceride levels. It can also be noted that there was an increase in AST and ALT resulting from the diabetic state. Nevertheless, in the groups treated with AG and MET, there was a decrease in AST and ALT, demonstrating the ability of the compounds to recover from liver damage. Alkaline phosphatase was increased by hyperglycemia, however, treatments with AG and MET did not affect this parameter. Serum markers of renal function, urea and creatinine, were not affected by the treatments. Through histological analysis it was noted that AG and MET alone or in association had beneficial effects by minimizing liver and kidney damage arising from DM2. Thus, we concluded that treatment with AG, MET and the association of these compounds induced an improvement in the liver parameters of diabetic animals, decreased triglyceride levels, restitution of SOD, CAT and GPX activity, and was able to promote an improvement in kidney and liver tissue damage. Given the above, it can be noted that the association of AG and MET acted beneficially in this experimental model, requiring further studies to establish whether the association of guanidines can bring more benefits than the isolated action of metformin, widely used in DM2 treatment.
Palavras-chave: Diabetes Mellitus Tipo
Aminoguanidina
Metformina
ERON
NOX2.
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Alfenas
Sigla da instituição: UNIFAL-MG
Departamento: Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas
Citação: OLIVEIRA, Carla Miguel de. Efeito da aminoguanidina e sua associação com metformina no sistema redox de ratos com diabetes tipo 2 e as implicações nos parâmetros bioquímicos e histológicos. 2021. 82 f. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, MG, 2021.
Tipo de acesso: Acesso Embargado
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: https://bdtd.unifal-mg.edu.br:8443/handle/tede/1877
Data de defesa: 6-Ago-2021
Aparece nas coleções:Doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese de Carla Miguel de Oliveira.pdf2,37 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar    Solictar uma cópia


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons